En aquel Imperio, el Arte de la Cartografía logró tal Perfección que el Mapa de una sola Provincia ocupaba toda una Ciudad, y el Mapa del Imperio, toda una Provincia. Con el tiempo, estos Mapas Desmesurados no satisficieron y los Colegios de Cartógrafos levantaron un Mapa del Imperio, que tenía el Tamaño del Imperio y coincidía puntualmente con él. Menos Adictas al Estudio de la Cartografía, las Generaciones Siguientes entendieron que ese dilatado Mapa era Inútil y no sin Impiedad lo entregaron a las Inclemencias del Sol y los Inviernos. En los Desiertos del Oeste perduran despedazadas Ruinas del Mapa, habitadas por Animales y por Mendigos; en todo el País no hay otra reliquia de las Disciplinas Geográficas.
[Del rigor en la ciencia, Jorge Luis Borges]

2011-04-15

quantas transformações?

quantas transformações estão registadas na base de dados EPSG para os CRS usados em Portugal?



PARA ► PTRA08 ETRS89 WGS 84
DE ▼ epsg 5013 4258 4326
Azores Occidental 1939 4182 3
2 5
Azores Central 1948 4183

1 1
Azores Central 1995 4665 6
10 16
Azores Oriental 1940 4184

1 1
Azores Oriental 1995 4664 3
4 7
Porto Santo 4615

1 1
Porto Santo 1995 4663 3
2 5
Selvagem Grande 4616

2 2
PTRA08 5013

1 1
Lisbon 1890 4666
1 2 3
Lisbon 1890 (Lisbon) 4904

2 2
Lisbon 4207
5 4 9
Lisbon (Lisbon) 4803

1 1
Datum 73 4274
6 4 10
ED50 4230
1 4 5
ETRS89 4258

1 1


15 13 42 70

O quadro anterior baseia-se na versão 7.6 da base de dados EPSG em formato MS Access, inclui transformações deprecated (por motivos que serão clarificados mais tarde) e inclui transformações do tipo:
  • epsg:9603 - Geocentric translations (geog2D domain)
    • epsg:9606 - Position Vector transformation (geog2D domain)
      • epsg:9607 - Coordinate Frame Rotation (geog2D domain)
      • operações concatenadas, que se assinalam a itálico  (e que se  reportam apenas às definições de data com referência ao meridiano de Lisboa).
        Critérios de criação de transformações

        Algumas das transformações foram criadas pelo próprio OGP de acordo com os critérios expressos na pág. 24 do Guidance Note Number 7, v. 2.1, que em seguida se transcrevem:
        Many transformations that are available are between a local or national  system and a system which is defined relative to the global standard, the International Earth Rotation Service Terrestrial Reference System (ITRS). At a geodetic level of significance these realisations of the ITRS are discrete. But at a level of accuracy  quite satisfactory for most GIS and oil industry applications  –  nominally submetre accuracy  –  the differences between these ITRS realisations are not significant. The EPSG dataset facilitates the use of these transformations in a hub implementation by:
        •  choosing the GPS satellite navigation system's CRS WGS 84, which in recent years has been maintained within 0.1m of the ITRS, as a standard for use as a hub CRS.
        •  creating transformations from national or regional realisations of the ITRS to WGS 84 which result in no change in coordinate values, with a transformation accuracy of 1m. 
        •  duplicating selected transformations to national or regional realisations of the ITRS as a transformation to WGS 84, with a transformation accuracy  of the lesser of 1 metre or that of the original transformation.
        [...]It must be recognised that these transformations may not necessarily be approved by the originator of the original transformation. It should also be recognised that CRSs other than WGS 84 may be more appropriate as a hub. For example, in Europe when there is a need  to retain positions with respect to the EuroAsian tectonic plate, because with time positions on this plate change with respect to a global best fit system such as WGS 84, the adoption of ETRS89 as a hub would be preferable.
        Ou seja, para a exactidão requerida pela generalidade das aplicações SIG (e para a exactidão permitida pela utilização de transformações ajustadas de forma a minimizar o erro quadrático médio na área geográfica de aplicação), o OGP considera equivalentes os CRS ETRF89 (epsg:4258), PTRA08 (epsg:5013) e WGS84 (epsg:4326) .

        Transformações para WGS84 

        Dado que o WGS84 (epsg:4326) é o CRS hub para as concatenações ímplicitas de transformações e/ou conversões, é importante verificar estas transformações.
        Seguir-se-á a seguinte chave de decisão:
        (if)
        Para um dado método e área geográfica de aplicação, existe mais de uma transformação para WGS84?
        (then)
        Caso exista, seleccionar a transformação mais exacta (i.e. com menor EMQ ou outro indicador agregado de erro, se comparáveis entre registos diferentes), ou mais recente (o indicador de erro pode "piorar" se forem usados mais pontos no ajuste, o que não obsta a que as estimativas dos parâmetros sejam melhores).
        * Se a fonte da transformação seleccionada não for uma NMA, manter não obstante a transformação mais exacta reportada por uma NMA.
        (elseif)
        Para um dado método e área geográfica de aplicação, existe apenas 1 transformação para WGS84?
        (then)
        Caso exista, verificar se os valores dos parâmetros correspondem aos da transformação mais exacta ou recente reportada por uma NMA (que poderá ser uma transformação para um ITRS).
        (else)
        Se não existe qualquer transformação, criar uma com base nos valores mais exactos/recentes reportados por uma NMA (que poderá ser uma transformação para um ITRS).

        Transformações para ETRS89 e PTRA08

        Como resulta da sequência anterior, para poder verificar as transformações para WGS84 é necessário verificar primeiro as transformações para outras realizações do ITRS.

        Sem comentários:

        Enviar um comentário